terça-feira, 16 de abril de 2013

um dia. um sonho. um dia feliz


eu gosto tanto quando a gente passa bastante tempo juntos sabe.
eu tenho muita vontade de um dia a gente cozinhar juntos.
seria quase um sonho: passar um dia inteiro só com vc. cozinhando, rindo, se divertindo, se amando.
deitados por horas, ou assistindo filmes na sala, ou te abraçando por trás enquanto a gente entrelaça as mãos.
ter um dia só com vc.
um dia feliz.

domingo, 3 de março de 2013

manifesto do amor pela leitura

amo ler. amo a constante viagem por dentro do mundo dos livros. é, já é um vício ler.
mas hoje percebi, o quanto eu gosto tanto de você: te gosto a ponto de parar de ler pra ficar conversando contigo!
mas isso só não basta. te quero aqui.
se é pra parar de ler e conversar contigo, que seja pessoalmente.
te abraçando,
te olhando nos olhos,
sentindo nossos corpos juntos.
com você aqui, não preciso ler. nós dois somos uma viagem nesse nosso mundinho. é, já é um novo vício, nós.

sábado, 5 de janeiro de 2013

DÉNUNCIA: metas não cumpridas de 2037

balanço n°1: caro camarada de 2013, você sempre reclamou por passar várias horas na internet, mais especificamente no facebook. Porém, olhando daqui, só lhe digo uma coisa: você é um babaca - tá certo que estou falando de mim -, não um babaca qualquer, é um babaca que sabe que é babaca, mas não tem o amadurecimento que eu tenho pra gritar em alto e bom som: eu sou babaca! obs: vai demorar até você conseguir falar isso pela primeira vez, mas vai ser bem conformante - mas não será isso que fará você largar o facebook.

balanço n°2: certamente mesmo após o balanço n°1, nada irá mudar com relação ao seu uso do facebook, em outras palavras, você irá continuar sendo babaca, reclamando de usar muito o facebook, e procrastinando várias tarefas. mesmo em 2037, você continua reclamando da procrastinação. acredita que no final deste ano, 2037, você ainda passa a virada desejando que ano que vem vai ser diferente? sua meta não cumprida de 2037, 36, 35...13, 12. isto é uma coisa que você vai demorar para entender: a diferença entre um ano diferente e um ano em construção.

balanço n°3: considerando o balanço n°2, em que fica claro que você não parou de usar o facebook, cabe agora uma ponderação; considero inútil todos esses anos que passei sonhando com a construção de uma máquina do tempo. Inútil pois mesmo que tivesse voltado no tempo pra te dar esses balanços e fazendo você uma pessoa menas babaca, eu em 2013 era tão babaca que meu eu de 2037 dificilmente conseguiria alterar meu próprio passado. ou seja, é inútel tentar alterar o passado de pessoas babacas como eu. se você está lendo isso, desista da máquina do tempo, invista em cabotagem.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

por marcas mais profundas de amor


A mulher sabe o que é melhor para ela: serem livres do seu machismo, seu machista!
Não é suas palavras de amor acompanhadas da sua mão pesada. 
Não adianta sua mão pesada amanhã colocar a mão na consciência e se arrepender, pois amanhã, depois de amanhã, para todos os dias, as marcas do seu amor já deixaram cicatrizes no corpo, na vida, na alma da mulher. 
Deixemos marcas nas mulheres, mas que sejam somente as marcas do amor. 
Deixemos as mulheres sem palavras, mas que sejam somente por estarem surpresas por um presente num sábado qualquer de uma primavera florida.
Deixemos as mulheres presas, mas que sejam presas no desejo de se libertar.
Na mulher só o coração deve bater forte por amor, sua mão pesada tem que entrar para história e ficar lá, pois na sociedade que nós sonhamos e construimos, não passará!
Se o meu amor um dia te prender, mulher, devo eu não conhecer realmente o que é amor.

Cleison spam luiz.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

sou oposição da tristeza

se você tá triste, é porque está comparando com algo bom, alegre. ficar triste não tem remédio, evitar ficar triste não é bom.
mas se tristeza é essa coisa contrária da alegria, então ela vem. a alegria vem depois da tristeza. e depois. depois, do que é mesmo que nós lembramos se não dos momentos bons?
tristeza passa, nós passarinho.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

o meu 68

não é uma história necessariamente com final feliz, muito menos de viveram felizes para sempre.
é uma história, a nossa história.

já escrevi 22 anos de história. se conseguir escrever história até uns 90, me sobram mais uns 68 anos com liberdade poética, pra interevir, amar, lutar, acreditar, me zangar, me ferrar, avaliar, e fazer relatorias. mas amar.

notas mentais 1: psiu, 68 anos sem planejamento, e um dia ousou dar balanço sobre falta de planejamento da gestão.

notas mentais 2: se fosse escritor de um romance, vc colocaria o final feliz do seu best-seller já no primeiro capítulo?

notas mentais 3: lance mais de um romance durante os 68 anos de história. nem que seja a continuação. nem que seja sobre viveram felizes para sempre - só que não. 


dançar bem agarradenho com rostenho coladenho já está escrito. só não lemos ainda esse capítulo. está lá, só esperando ser folheado. lido. saboreado. amado.


terça-feira, 11 de setembro de 2012

distância distante de ser distante

o que mais me assusta entre nós é a distância. a pequena distância que nos separa. 

é de um tamanho tão pequeno que as vezes me esbarro em você durante o dia. é um pensamento aqui outro lá, e você surge em meus pensamentos. é você no canto direito da tela sorridente e desfocada.

é de um jeito tão pequeno essa distância que consigo medir com a palma da minha mão. essa geografia que me ensinou as escalas, e com um dois dedos e já esbarrei em você. é você no sul da minha vida.

é de um sentido tão diferente essa distância, então começo buscar entender de outras formas. que tal a não-lineariedade do tempo. é a vontade lógica é voltar pra esquerda na linha do tempo.

é de um gosto tão gostoso essa distância que gosta de me fazer pensar em nós. eu vejo o norte, penso em você. e se você seguir ao norte, pular um dois dedos no mapa, já não precisa do canto direito pra esbarrarmos, ou pular pra esquerda pra se ver.